Números da Covid-19 continuam subindo

No entanto, município já tem 99 pessoas recuperadas; MG está entre os estados que menos realizam testes

Paulo Vitor Souza 

A crise do novo coronavírus já atingiu mais de 320 municípios mineiros. Em Divinópolis, quase dois meses após a confirmação do primeiro caso, medidas de flexibilização foram implementadas na tentativa de abrandar os prejuízos econômicos trazidos pela doença. O município continua registrando escalada nos casos notificados.

Desde o início da flexibilização das ações do comércio, no dia 27 de abril, a cidade saltou de 81 para 132 casos confirmados, registrados até ontem, aumento de 62,96%. Não é possível ainda apontar relação direta entre os números e a reabertura do comércio, segundo os responsáveis, mas a subida dos casos chama a atenção para contaminação comunitária presente no município.

No entanto, há um dado a ser comemorado. Noventa e nove pessoas já se recuperaram da doença na cidade. 

No boletim epidemiológico de ontem, são citadas 1.491 notificações com quadro clínico suspeito da covid-19. Quanto ao índice de ocupação dos leitos, o município está hoje com 50% dos leitos SUS ocupados e 42,3% da rede privada. Dezesseis pessoas estão internadas no setor de enfermaria e 12 ainda permanecem no Centro de Terapia Intensiva (CTI).

O coeficiente de contágio na cidade está hoje em 55,41, isso significa que, para cada 100 mil habitantes, quase 56 pessoas têm ou tiveram a doença.

Das suspeitas registradas, 819 pertencem a homens; as mulheres representam parcela maior entre pessoas que apresentaram algum sintoma da doença, totalizando 986. O público que mais apresentou algum indício da covid-19 está compreendido entre pessoas de 20 a 39 anos de idade.

Minas Gerais

O fato de aparecer entre os estados com menos incidência do coronavírus não coloca Minas Gerais fora do perigo e tem uma explicação. O estado ocupa a segunda posição na listagem de unidades federativas que menos realizam testes da doença.

A baixa testagem de Minas contrasta com outros governos estaduais que realizam média maior de testes, como o Ceará, que submete 519 casos a exames em cada 100 mil habitantes.  Por aqui, de todas as notificações, cerca de 10% é que passam pelos exames. De acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), MG testa aproximadamente 78 pessoas a cada 100 mil habitantes, média menor que estados mais pobres, como Amapá, Bahia, Amazonas, Rondônia, Tocantins e Acre. 

No boletim epidemiológico desta segunda-feira, a SES anunciou 161 mortes em decorrência do novo coronavírus, além de 4.695 casos positivos da infecção. Segundo informações das secretarias municipais de saúde, em todo o estado, 2.280 pessoas estão sendo acompanhadas. 

Em Minas, a endemia já chegou a 321 cidades. Belo Horizonte lidera com maior número de mortes, 31, e casos confirmados, 1.158. A capital mineira adotou medidas duras na contenção do surto, como as barreiras sanitárias que foram instaladas nos limites do município. Somente na ontem, 27 pessoas tiveram sintomas da doença identificados.

Boa notícia

A Secretaria de Estado de Saúde passou a informar a quantidade de pessoas que já superaram a doença. Em Minas, já são 2.254 pessoas recuperadas. Em Divinópolis, dos 132 casos positivos da doença, 99 pacientes também estão curados.

Comentários
×