Negar

Israel Leocádio 

Olá! Uma sensação entre as mais difíceis de elaborar em nosso coração é a negativa a um pedido. Quando você considera essa solicitação muito importante e urgente, esse sentimento de dificuldade é maior. Alguns chegam a comparar a uma sensação de dor. Outros, de humilhação, incapacidade, impotência. Pessoalmente, acredito que todos sejam modalidades diferentes de dor.

Esse sentimento, que amesquinha o pedinte ignorado, talvez seja alimentado por uma consciência, ainda que nem sempre completa, da real necessidade daquilo que se pede. Logo, quando vem a negativa, isso é desolador.

Mas será que é o sentimento correto? Será que sempre quem pede sabe de fato de que necessita? Será que aquele que nega é um carrasco que impede a realização de um sonho?

Quero me reportar, com um imenso respeito e carinho, a um caso que conheço de perto. Trata-se de um casal que, sonhando com o segundo filho, pedia a Deus (como é comum aos pais) que tivessem um filho saudável e feliz. Após o período de gravidez, nasceu um menino, porém, “dependia de alguns cuidados especiais. Frequentemente deveriam ir ao médico”, o que deixou os pais arrasados, em um primeiro momento. Algum tempo de choro, raiva de Deus, inconformidade com a nova situação. Passados alguns anos, essa família já havia se tornado maior. Eram mais filhos. Todos se casaram, formaram família, mudaram para suas casas. Aquele filho que exigiu tantos cuidados na infância decidiu (mesmo depois de casado) cuidar dos pais, assim como fora cuidado por eles. Em certo momento, o pai daquele “menino que deu trabalho” (hoje um homem respeitado) disse-me: “Ainda bem que Deus me deixou um filho que estará sempre comigo. Ainda bem que não estou só!”. Naquele momento, aquele pai agradecia, sem perceber, que a negativa de Deus no passado tornou-se um presente especial com o passar dos anos. Aquele filho tornou-se sempre grato e o mais presente.

Sei que o coração daquele pai sempre sonhou com o melhor para seu filho. Respeito muito a história dessa família, por conseguir ver de forma tão especial o que a vida lhe proporcionou (cada caso é diferente!).

Mas, isso me conduz a uma palavra na Bíblia, que diz: “Não sabemos pedir como convém. Por isso o Espírito Santo intercede por nós...” (Romanos 8.26). Não sabemos mesmo! Não só porque não sabemos argumentar com Deus, mas desconhecemos a maioria dos propósitos da vida, ignoramos a ordem natural, não sabemos do futuro, pedimos pensando em nós mesmos, queremos evitar nossa vergonha e dor, não queremos um estilo de vida que nos ensine a ser mais tolerantes, humildes e altruístas. Além de tudo isso, a negativa de Deus ocorre por razão mais significativa, como: “Deus se nega a ouvir pedidos alimentados por covardia, medo, fuga ou coisas semelhantes”.

Se Deus atendesse com um “sim” a todos os pedidos, quantas catástrofes ocorreriam! Quantos médicos brilhantes simplesmente não se formariam, porque, no período de formação, pediriam para desistir, movidos por cansaço, solidão, distância da família! Quantos casamentos não mais existiriam, porque, no dia da dificuldade, um dos cônjuges desejou desistir! Quantos sonhos não seriam realizados! Ainda bem que às vezes Deus diz “não”!

A mais importante negativa de Deus, que favoreceu a humanidade, ocorreu num jardim. Em uma madrugada, na cidade de Jerusalém. Ali, no Getsêmani, Jesus pedia ao Pai que, se possível, não permitisse sua morte. A oração foi intensa a ponto de Jesus suar sangue e durou horas. A negativa de Deus foi bem direta. Naquela mesma madrugada, Jesus foi preso. Na tarde daquele mesmo dia, ele morria em uma cruz. Graças a Deus que a oração de Jesus não foi atendida! Pois foi por dizer não ao pedido do Filho que o Pai autorizava a salvação de todo que crê em Jesus.

Vivemos uma geração desacostumada a ouvir “não”. Isso tem trazido resultados negativos que tendem a se agravar. Porém, aquele que sabe elaborar um “não” para o seu crescimento será o líder do futuro. Acredite, nem tudo que desejamos merece um “sim”. Às vezes a negativa é que fará de você uma pessoa melhor.

Israel Leocádio

 

Comentários
×