Não vai ter Copa

 

Este mote foi repetido à exaustão no período que antecedeu os jogos da Copa do Mundo no Brasil. Mesmo assim, ela aconteceu, em meio a denúncias de corrupção, manifestos contra a presidente, briga por tarifa de coletivo e muito mais. Para muitos, foi considerada um sucesso. Cidades lotadas, comércio satisfeito, enfim, o mundial aconteceu. Teve a Copa.

Nesta quinta-feira, porém, a impressão que temos é de que neste ano não tem mundial. A Copa tem sua abertura na Rússia e — não sei se pela distância — parece que o Brasil nem está participando. Nada de bandeiras nas janelas, nada de decoração verde e amarelo nas lojas, nada de camisas da seleção inundando as ruas da cidade. Pelo contrário, recebi informação de um lojista que o estoque de camisas que comprou está todo encalhado.

Me pergunto se não vai ter Copa porque o brasileiro não está empolgado com a seleção ou se realmente o patriotismo anda em baixa devido à situação crítica em que se encontra o país, com ninguém tendo dinheiro pra nada. Churrasco e cerveja para assistir jogos, parece que vai ser privilégio para poucos. Acho que no fundo não vai ter Copa, por causa da soma destes e de outros alguns fatores. O Brasil atualmente é um país que não empolga em nada, nem na política, nem no futebol e o que é pior, nem no povo.

 Suspeitas 

O vereador Renato Ferreira (PSDB) pretende visitar alguns municípios mineiros como Martinho Campos, Lavras, Arcos, Contagem e Carmo da Mata para verificar informação que recebeu de que a Associação de Advogados do Centro-Oeste (AACO) teria pedido a cassação do mandato dos prefeitos destas cidades, como fez em Divinópolis. O parlamentar quer verificar se nestes municípios também existiam contratos da empresa Coopelife com a Prefeitura ou se a mesma disputou processos licitatórios em que não teria sido vencedora.

Caso a informação se confirme, haverá indícios de que a ação protocolada na Câmara e que foi rejeitada na última semana seria realmente uma retaliação ao prefeito Galileu (MDB) com fins particulares. O presidente da entidade é o advogado Sérgio Martins, que é também diretor da empresa Coopelife, e as duas funcionam em mesma sala, o que está gerando certa desconfiança por parte de alguns.

Sérgio Martins diz que apenas empresta a sala para a associação e que o pedido protocolado na Câmara fez como pessoa física, na companhia de dois outros advogados cidadãos. Afirmou também que todos os contratos da firma têm respaldo legal e são cuidadosamente elaborados para que não fique nada duvidoso no ar.

Outro questionamento foi feito pelo vereador Eduardo Print Júnior (SD), que estranhou o advogado dizer que a ação partiu de pessoa física, mas ter feito o chamamento em nome da entidade através de redes sociais. Ele afirma também que a AACO confundiu a população ao chamar para acompanhar o impeachment do prefeito Galileu, o que em nenhum momento foi discutido ou votado na Câmara, já que os trabalhos de investigação ainda não foram concluídos.

 Jaime vice 

O Jornal Estado de Minas publicou notícia confirmando o deputado federal Jaime Martins (Pros) na disputa majoritária deste ano. Segundo a reportagem de Isabella Souto, ele sai como candidato a vice-governador ou senador. Se for para vice, o nome é dado como certo na chapa encabeçada por Márcio Lacerda. Além de cumprirem agenda juntos, em evento que formalizou parte da coligação que estará na disputa Jaime foi praticamente sacramentado como vice.

Comentários
×