Na gaiola do prefeito

Bob Clementino

As discussões sobre as eleições para prefeito este ano já alcançaram as ruas. Zum-zum dá conta de que o prefeito Galileu Machado (MDB) vai tentar a reeleição. E vem a pergunta: quais dos atuais vereadores vão apoiar o alcaide, nesta sua tentativa de se reeleger prefeito? Minha opinião? Quem vai apoiá-lo são aqueles vereadores que estão na “gaiola do prefeito”. Quais são?  Só o vereador Edsom Sousa (sem partido) é que sabe, pois foi ele que declarou na tribuna da Câmara que “tem vereadores na gaiola do prefeito”.

Já virou história

Gostando ou não, está gravado na memória dos divinopolitanos que Galileu é o prefeito que transformou a rodoviária em depósito de caixão e que recusou uma usina de asfalto, um rolo compactador e uma acabadora rebocável para o asfaltamento de ruas e avenidas.

Detalhes eleitorais

Em uma campanha eleitoral, o perigo está no detalhe. Não levar em consideração uma informação pode jogar por terra toda uma estratégia eleitoral. Exemplo: toda a análise para elaboração do plano de ação com vistas à eleição de um candidato a prefeito deve partir da realidade de que Bolsonaro (sem partido) obteve, em Divinópolis, na eleição última, 70.001 votos ou 65,17% dos votos válidos. O que isso significa? Muita coisa, mas principalmente que o eleitorado divinopolitanos deu uma guinada para a direita, sem dar seta (como gostam de dizer que é hábito no trânsito da cidade).

E a esquerda?

Em 2014, PT & cia, com Dilma (PT) candidata, receberam 70.325 votos na cidade, correspondente a 55,49% do eleitorado. Já em 2018, com Fernando Haddad (PT) candidato, obtiveram 41.154 votos. De 2014 para 2018, a esquerda perdeu, em Divinópolis, 29.171 votos.

Pesquisa é que conta

Diante desse quadro, o que as assessorias político-partidárias devem fazer?

O momento atual mostra um cenário amorfo, mas Galileu e o deputado Cleitinho Azevedo (CDN), que ainda não se declarou candidato a prefeito, sobressaem nas conversas. Evidentemente, outros nomes entrarão em debate, assim que forem se definindo na pré-candidatura a prefeito. Nesta hora, é importante a contratação de uma pesquisa eleitoral, para captar as intenções de votos, os insumos, como a opinião, as rejeições e as necessidades apontadas pelos entrevistados. Tudo isso constitui material relevante que facilita ao marqueteiro a análise da situação e lhe possibilita identificar os pontos fortes e vulneráveis do partido ou do candidato. Fica a dica!

Tirar água da pedra

Sempre repito esta manchete quando vou comentar sobre pedido de reajustes salariais dos Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro Oeste (Sintram) e dos Trabalhadores da Educação Municipal de Divinópolis (Sintemmd). O Sintram encaminhou ao Poder Executivo a proposta de reajuste de 10%. A categoria quer, ainda, a revisão do vale alimentação, que hoje é de R$ 8 ao dia. A classe reivindica um aumento de R$ 1, mais o IPC acumulado da Fundação Ipead.

A secretária da Fazenda, Suzana Xavier, disse aos servidores que a Prefeitura não tem mais capacidade de endividamento, ou seja, não tem como atender às justas reivindicações dos servidores. Por isso, entendo que, diante da tragédia do coronavírus, que vai impactar negativamente a economia do Brasil e do mundo, com reflexos também na Prefeitura, o sensato era os citados sindicatos garantirem que a folha de pagamento atual seja paga em dia. Já é muito!

Folha de pagamento: R$ 1.005.699.985,44

O prefeito, confirmou, no dia 3, pagamento integral da folha de março aos servidores. Com esforço da Secretaria Municipal da Fazenda (Semfaz) e demais setores responsáveis, os salários foram pagos na sexta-feira, 6. O valor total da folha do mês de março foi de R$ 20.952.083,03. Se, grosso modo, usarmos este valor como referencial da folha de pagamento e multiplicarmos pelos 48 meses que compõem o mandato do prefeito, o gasto com a folha de pagamento chegaria à astronômica cifra de R$1.005.699.985, 44. Isso explica por que em Divinópolis a Prefeitura ou paga em dia seus servidores ou faz obras. As duas coisas, simultaneamente, são impossíveis! 

Comentários
×