Muita gente

Admirável o número de pessoas que compareceram à Caminhada Todos contra a Pedofilia, realizada na sexta-feira e que desceu a 1º de junho partindo da Catedral e terminando na Praça do Santuário. A capa de sábado deste diário mostra que o imenso número de pessoas abraçou uma causa que merece respeito. De parabéns todas as autoridades, a partir do promotor Carlos José Fortes, que é o titular da Vara de Infância e Juventude. Fortes está levando o movimento para todo o Brasil, num belíssimo esforço de tratamento social para um caso emblemático, que é a pedofilia.

No mundo inteiro

Pedófilos de todas as idades existem no mundo inteiro, com leis severíssimas e o que se quer aqui no Brasil com este movimento, é a conscientização de todos sobre o tema, principalmente da classe política, para que se crie lei que puna com bastante força as pessoas débeis mentais que praticam este crime diuturnamente. Estes doentes devem ser tratados de forma diferente, pois, no meio deles, existem os aproveitadores, aqueles que querem ganhar dinheiro através da pornografia infantil. O Brasil precisa ser forte também no combate à pedofilia, como está ficando no combate às drogas. Estas também precisam de novas leis mais rígidas, sem claro, que seja aplicada a pena de morte, como acontece em várias partes do mundo.

E por falar em drogas...

...deve ser embutido em novas leis, ou na regulamentação das existentes, artigos que inibam também o uso de armas, com penas violentas e sem essa de soltar logo depois de ser preso. Foi pego armado assaltando, é prisão sem direito a qualquer recurso, sem pagar fianças etc. A alegação de que irá soltar os presos em flagrante, apenas porque falta espaço nas prisões simplesmente não convence, pois somente bandido anda armando neste país, onde o medo reina em todos os lugares e ambientes. Os ladrões já não escolhem lugar ou hora, apenas apontam a arma e pronto.

E quando aparece...

...um ou uma policial e mete bala no bandido vem um político qualquer, ou um defensor de direitos humanos, palpitar que o ou a policial deveria “esperar um pouco mais” antes de atirar, para saber realmente quais eram as intenções do bandido. Ora, quem está no meio da rua, apontando uma arma para alguém quer o quê?! Se o assaltado, como a TV mostrou, resolve correr de medo, leva bala pelas costas, pois eles estão ali assaltando e não brincando de bandido e mocinho como nos filmes de antigamente, e que os nossos filhos imitavam em casa com pequenos revólveres feitos de madeira, com uma máscara do zorro ou de um ou outro bandido famoso dos filmes americanos, que até hoje ainda podem ser encontrados na Netflix.

Sabatina forte

Com todos os ingressos vendidos, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi sabatinado neste fim de semana no auditório da Associação Comercial do Rio de Janeiro. As perguntas são normalmente as mesmas e versam sobre pedofilia, homofobia e outros temas correlatos. O povo, que pagou R$ 200 para assistir, aplaudiu demoradamente o candidato à presidência ao final do bate-papo. Bolsonaro, mostrando que já está bem mais preparado que no início de sua campanha, respondeu a todas as perguntas com convicção e sem qualquer atropelo ou anormalidades. No final, disse o que todos queria ouvir: se eleito, fará deste país um lugar diferente para se viver, pois combaterá o crime e o criminoso em todas as esferas, empregará todas as forças policiais e Armadas que puder para que isto aconteça. Nós precisamos de paz, seriedade e honestidade. Somente isto salvará o país, ressaltou.

Comentários
×