Mesmo com reajuste, comissão de servidores mantém pedido de impeachment

Da Redação

 O prefeito de Divinópolis, Galileu Machado (MDB), após receber alta hospitalar nesta terça-feira, 7, voltou atrás de sua decisão e anunciou que vai conceder o gatilho salarial aos servidores municipais em duas parcelas.

Ainda assim, a decisão em assembleia da categoria, no dia 29 de abril, para a formação de Comissão para pedir a abertura do processo de impeachment do prefeito pelo descumprimento da lei, será mantida.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste (Sintram), Wellington Silva, a decisão da assembleia é soberana.

— Vai ser mantido o que a categoria decidiu na última assembleia e a Comissão irá protocolar nesta quinta-feira na Câmara o pedido de impeachment. Dividir o gatilho em duas parcelas, adiando a segunda para o ano que vem, em nada dilui as perdas salariais, pelo contrário, isso significa que as perdas continuarão a crescer — disse o vice-presidente.

Planfletagem

Nesta terça-feira, 7, diretores do Sintram iniciaram uma panfletagem na cidade para mostrar à população as razões que levaram os servidores a pedir o impeachment de Galileu Machado. Além do descumprimento da lei, os panfletos entregues à população apontam a má gestão, com a administração deixando a cidade abandonada, inclusive sem serviços básicos de manutenção.

De acordo com Wellington Silva, a panfletagem continua hoje em vários setores da Prefeitura, para que a categoria tenha conhecimento do embasamento da Comissão para protocolar o pedido de abertura do processo de impeachment de Galileu Machado.

— Está mantida a decisão da última assembleia e amanhã estaremos na Câmara às 16h acompanhando a Comissão que vai protocolar o pedido — esclareceu o vice-presidente.

Comentários
×