Manda que obedeço

O Editorial ao lado traça um perfil dos “porquês” na votação de terça-feira na Câmara Municipal, quando o prefeito Galileu Machado (MDB) saiu vitorioso na primeira “briga” séria do seu governo. A turma do “manda que obedeço” agiu de acordo com a cartilha, recusando-se a abrir um processo que poderia, inclusive, resultar na cassação do prefeito ou simplesmente não dar em nada.

Seguindo as...

...orientações vindas do alto da Paraná, onde o prefeito se encontrava enclausurado em seu palácio, os vereadores disseram não aos advogados da Associação dos Advogados do Centro-Oeste (AACO), desagradando todas as redes sociais, que “mandaram ver” em cima dos 11 bem mandados. É a política deste país, onde os discursos da Tribuna nem sempre coincidem com as necessárias tomadas de posição. Vereadores bons de discursos, mas muito mal de resultados práticos e, agora, encontram-se desqualificados para o futuro. Mas isto, somente quem viver verá.

Bagunçou geral

O comportamento local dos vereadores, alguns até bem situados junto à opinião pública, arrasta para o buraco a credibilidade dos políticos, hoje um último lugar em todas as pesquisas. Mas esta Câmara até que estava bem avaliada, mas, na “hora H”, pisou na bola. E se pisou, é porque existe algo de podre acontecendo com o governo de Galileu Machado que, em pouco mais de um ano perdeu dois dos seus principais colaboradores e homens de confiança, que tomavam decisões e impunham ao prefeito a coerência. Verdade ou não, pelo que me foi relatado, com a saída dos dois entraram duas mulheres que não se entendem: a filha e a amiga. Virou confusão, pois o “manda-desmanda” embolou o meio-campo, exatamente onde Galileu nos seus bons tempos de futebol gostava de jogar.

Esse mesmo vereador...

...que me contou sobre a confusão “prefeitural”, respondeu a uma pergunta de um amigo que estava ouvindo a nossa conversa: De zero a dez, quais são as chances da Câmara aceitar o processo contra Galileu? —Zero, disse. Acertou em cheio, pois até ele votou contra. (Cortinas fechadas!)

Falou-se mais acima...

...em “baixa na política” e, para que não se duvide que Lula e seus amigos estão longe de chegar ao poder, a senadora Kátia Abreu, do PDT, tinha o apoio do PT e liderava as pesquisas no Tocantins para o governo do estado. Para incrementar ainda mais o seu nome, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, gravou uma propaganda pedindo votos e mostrando uma carta do ex-presidente, insistindo com os “cumpanheiro” para que Kátia fosse eleita. Era o que faltava para acabar com a campanha. A candidata simplesmente despencou na popularidade e ficou em quarto lugar. E mesmo assim, ainda tem veículo de informação mostrando pesquisa com Lula na frente de Bolsonaro!

Nem todo político...

...sabe administrar, assim como a grande maioria dos administradores sabe politicar. Quando rodeado de gente séria e honesta, com as pessoas certas nos lugares certos, o resultado vem. A Petrobras, que estava na pior, é um bom exemplo. Foi só tirar a incompetência política e colocar o administrador Pedro Parente para que a empresa voltasse ao seu rumo dando lucros extraordinários. Claro, aconteceram erros políticos, pois Parente gerenciava, pensando apenas nos lucros, esquecendo que muita gente se daria mal com os constantes aumentos dos derivados do petróleo. Veio a paralisação e o rei ficou nu. Dentro de alguns meses, os tais 46 centavos serão esquecidos, pois o preço deveria ser menor na Petrobras e não na concorrência. Este filme é antigo.

Comentários
×