Injustiçado

Preto no Branco 

É assim que está se sentindo o vereador Eduardo Print Jr., depois que praticamente foi convidado a sair do Solidariedade. O vereador foi o fundador do partido na cidade, legenda que conta atualmente com cerca de 350 filiados. Mesmo assim, não considera que tenha sido traído pela cúpula estadual, visto que foi informado das decisões, mesmo sendo pego de surpresa. Print ratifica que não disputará a Prefeitura, sendo esta a condição que lhe foi imposta para que continuasse como principal nome da sigla na cidade. Como pretende lutar por uma cadeira no Legislativo, já se despediu do partido. Garante que não se decidiu ainda para onde vai migrar, mas tem convites. São as intempéries na política em ano eleitoral. E olha que está só começando.

Não age

A responsabilidade é do Estado. É o que a Prefeitura diz sobre acompanhamento de pessoas que tiveram em países com grande risco de contaminação do coronavírus, como a Itália. País no qual esteve a paciente de Divinópolis e sua família, todos em quarentena. O registro dela é o primeiro confirmado em Minas Gerais. Neste caso, ela procurou atendimento médico. Quando não há esta iniciativa, a saúde local espera pela ação do Governo do Estado. Não é um tiro no pé? Tudo bem que os turistas descem no aeroporto de Belo Horizonte, mas seguem para suas cidades de origem. É aí que está o perigo.

Ninguém sabe

Não tem muito o que se fazer quando um grupo grande visita locais onde o vírus já se propagou. Outro exemplo envolvendo a Itália e que está deixando muita gente preocupada diz respeito a diversas pessoas que chegaram à cidade, vindos de lá na semana passada. Elas pertencem a grupo da Igreja Católica e fizeram um tour por diversos pontos daquele país. Enquanto ninguém sabe quem são estes homens, mulheres e até crianças que estão por aí sem saber se adquiriram o vírus, o Município espera o Estado agir.

Audiência pública

Diante deste quadro de alerta e preocupação, a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realiza hoje uma audiência pública para debater as medidas que vêm sendo adotadas pelo Estado para impedir a proliferação do novo agente do Covid-19, que se tornou uma epidemia em diversos países do mundo. O requerimento é de autoria do deputado Doutor Jean Freire (PT). E ele está mais do que certo. Afinal, é papel do Legislativo promover a discussão e cobrar medidas. E na cidade que registrou o primeiro caso, já há algo neste sentido? Com a palavra a Comissão de Saúde.

Nas escolas

E se a responsabilidade é do Governo de Minas, como disse a Prefeitura, ele já está agindo mesmo antes da realização da audiência. Por meio das secretarias de Estado de Educação e de Saúde, encaminhará às escolas públicas estaduais orientações sobre prevenção e cuidados quanto ao coronavírus. O material traz informações sobre o vírus, sintomas e formas de prevenir a contaminação. As dicas são voltadas para o ambiente escolar, mas podem ser usadas pela população no dia a dia. Que continue assim, mas uma pena que não chegará a todo mundo, pois boa parte das escolas da rede pública está em greve.

Vigilância

O alerta destaca especificamente sobre a convivência dos alunos, destaca medidas como a necessidade de higiene frequente das mãos com água e sabão, por pelo menos 20 segundos, e usar desinfetante para as mãos à base de álcool. Também cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar, deixando o cotovelo flexionado, ou usar lenço descartável. E o ponto positivo desta iniciativa é que os alunos repassam as informações às famílias. Já é meio caminho andado.

Comentários
×