Guarani faz ação solidária em tempo de quarentena

Alvirrubro lança máscara de proteção com símbolo do clube em prol do Lar das Meninas

José Carlos de Oliveira

Em tempo de quarentena, por causa da pandemia da covid-19, o Guarani segue trabalhando nos bastidores. Nesta semana, o clube lançou uma campanha social para ajudar o Lar das Meninas, instituição que cuida de garotas sem lar e abandonadas pelas famílias.

O alvirrrubro lançou máscaras com o escudo do clube para serem vendidas a seus torcedores e à população em geral, com parte da arrecadação sendo doada para o Lar das Meninas.

As máscaras estão sendo vendidas apenas pelo WhatsApp, no número (37) 98821-8230, pelo valor de R$ 6,00, nos tamanhos adulto e infantil. Em cada unidade vendida, R$ 3,00 serão doados para a instituição, para a ajuda dos custos fixos e a volta das crianças.

Futebol

O futebol do Guarani continua parado por causa da pandemia da covid-19 e não há previsão de quando volta à normalidade, tanto no profissional quanto nas categorias de base e na Escola de Futebol Bugrinho. Com jogadores e comissão técnica em suas casas, a diretoria alvirrubra trabalha nos bastidores e aguarda uma palavra da Federação Mineira de Futebol (FMF) sobre o reinício do estadual para então promover o retorno das atividades.

Pela tabela do Módulo II, o Bugre ainda terá mais cinco jogos pela fase de classificação. O primeiro compromisso, quando retornarem as disputas, terá como adversário o Serranense, em duelo marcado para a Arena do Calçado, em Nova Serrana. 

Jogos e posição

O regulamento do Módulo II desta temporada determina que os 12 clubes participantes se enfrentem em turno único, jogando todos contra todos, passando para a segunda fase os quatro melhores colocados ao término das onze rodadas, com os dois últimos sendo rebaixados para a Segunda Divisão em 2021.

Em seis rodadas realizadas até o momento, o Bugre ocupa a quarta posição na tabela, com 10 pontos ganhos, e seria um dos times garantidos no quadrangular final se a competição fosse encerrada agora. Nos seis jogos disputados, o time venceu três, empatou um e foi derrotado duas vezes.

O líder do Mineiro é o Pouso Alegre, que tem 16 pontos, seguido pelo Nacional de Muriaé, na segunda colocação, com 11 pontos, e o Athletic, de São João del-Rei, que aparece em terceiro, com os mesmos 10 pontos do Guarani, mas levando a melhor nos critérios de desempate.

Associação de clubes

O presidente do Guarani, Vinicius Morais, acompanha de perto o movimento dos pequenos clubes do Brasil, que se reuniram em uma associação nacional com 152 times e pleiteiam da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) o mesmo tratamento dado a times das séries C e D do Campeonato Brasileiro e do campeonato feminino, que receberam da entidade ajuda financeira em tempos de quarentena.

O dirigente alvirrubro deixa claro que o momento no futebol brasileiro é atípico e é preciso bom senso da CBF e das federações, para que centenas de jogadores não fiquem desamparados, com a falência e fechamento de muitos clubes.

— Vale lembrar que o momento é atípico e nunca vivido antes por todos, então se faz necessário um diálogo entre clubes e federações para tentar amenizar ao máximo o impacto causado pela paralisação forçada dos torneios — garante o dirigente.

A ação

No fim de março, quando ficou certo que o tempo parado seria mais longo do que o esperado por todos, os pequenos clubes do Brasil se uniram em uma associação para lutar por seus direitos. Eles enviaram uma carta com reivindicação para a Confederação Brasileira de Futebol solicitando uma ajuda mensal de R$ 75 mil para cada clube, durante dois meses, para que os times possam seguir em frente nestes tempos de paralisação dos estaduais.

Os dirigentes querem também que CBF e federações isentem os clubes de pagamento em taxas relativas às transações de atletas e outros custos que são cobrados em todas as partidas dos campeonatos.

Comentários
×