Greve dos educadores estaduais irá durar 3 dias

 

Gisele Souto 

Por enquanto, principalmente servidores administrativos da educação em Divinópolis aderiram à paralisação deflagrada na segunda-feira, coordenada pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (SindUte). Escolas de Belo Horizonte e outros municípios já pararam e aguardam um sinal positivo do sindicato em relação ao pagamento dos salários da categoria.

Até fechamento desta reportagem, por volta das 16h, o quadro na cidade permanecia o mesmo.

A suspensão das aulas, que começou segunda, 11, segundo o SindUte, permanecerá até que o Estado pague a primeira parcela do salário dos servidores.

 Três dias

A última greve durou mais de um mês, porém, além do pagamento em dia, os servidores reivindicavam outras melhorias e o cumprimento do Piso Salarial por parte do governador Fernando Pimentel (PT). Desta vez, o objetivo é chamar atenção mesmo para receber os salários em dia. Em princípio, a paralisação será por três dias: segunda-feira, terça e quarta. Isso porque é justamente hoje, 13, que está previsto o pagamento da primeira parcela aos servidores do Estado.

A diretora estadual do SindUte/subsede Divinópolis, Marilda Abreu, afirma que a categoria não abre mão de que o pagamento seja feito em dia, havendo, inclusive, a possibilidade de continuidade do movimento ou protestos em outras datas, caso a reivindicação não seja atendida.

Sindicalistas alegam que a decisão foi tomada após os educadores enfrentarem constante instabilidade sobre o pagamento dos salários.

— Voltaremos às atividades na quinta-feira, 14.

Vale ressaltar que a greve é para o retorno do nosso pagamento no 5º dia útil do mês — explica Marilda Abreu.

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) ratifica que o Sind-Ute a notificou sobre a paralisação que segue até a data de pagamento da primeira parcela dos salários do funcionalismo público do Executivo Estadual. Esclarece que, como já anunciado pelas Secretarias de Estado de Fazenda (SEF) e de Planejamento e Gestão (Seplag), a primeira parcela será paga nesta quarta-feira, 13, e os critérios para pagamento dos salários permanecem os mesmos dos meses anteriores.

PEC 

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC 49), do Piso Salarial, que propõe incluir essa matéria na Constituição do Estado teve o parecer votado ontem na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) na Comissão Especial que analisa o tema.

 

Comentários
×