Governo Pimentel (PT) deve R$ 65,9 milhões a Divinópolis

 

A esperança não acabou para os 58.443 eleitores que elegeram Galileu Machado (MDB), prefeito de Divinópolis! Agora eles sabem que o principal culpado pela crise administrativa por que passa o município de Divinópolis é o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT). Claro que o prefeito tem sua parcela de responsabilidade por este caos administrativo que assola o município, mas, se o Governo Pimentel liberasse as verbas a que tem direito Divinópolis, algumas das promessas de campanha de Galileu estariam sendo executadas. Conforme o relatório da Secretaria Municipal da Saúde, publicado no dia 21 de maio, somente em relação à área da saúde, o governo estadual tem uma dívida de R$ 62,1 milhões para com a cidade. Então, enquanto o Governo do Estado não liberar todas as verbas cabíveis ao Governo Galileu Machado, a crise na saúde e em outros setores do governo municipal será creditada ao governador Pimentel.

 Não se assuste: sou a favor do reajuste do IPTU. Explico 

Com o governo Fernando Pimentel estrangulando a administração municipal por meio de sua estratégia de reter verbas que tocam aos municípios e considerando que o orçamento da Prefeitura de Divinópolis não consegue sustentar obras urbanas, rurais e pagar salários dos servidores, não há outra saída senão apresentar à população a conta para pagar. A questão é simples: se os munícipes querem ver as promessas de campanhas cumpridas, precisam cooperar para que isso ocorra. Se a situação financeira da Prefeitura é deficitária já nos seis primeiros meses do ano, nos restantes seis meses ela se torna dramática. Então, sim, faz-se necessária a aprovação pela Câmara de um ajustamento do Imposto Predial Urbano (IPTU), mesmo porque há também muitos casos de tributação desproporcional, com valores insultuosos, miseráveis. Óbvio que defendemos apenas a adequação de valores ao respectivo bem imóvel, nada mais que isso, dentro de um critério de avaliação certa, nada aleatório nem mediante aplicação displicente de percentuais de aumento. E aos edis que se assombram com a notícia de que “o IPTU votará à Câmara”, lembro que Galileu já disse que o aumento do IPTU atenderia também a seus inúmeros pedidos.

 Promessas eleitorais: cadê o contorno ferroviário? 

Anunciado com pompa e circunstância, na eleição de 2010, a construção do contorno ferroviário parece que caiu no esquecimento ou no limbo em que caem algumas obras eleitoreiras. O contorno ferroviário de Divinópolis está projetado para ter 29,5 km, uma ponte ferroviária e quatro passagens de nível, intervenções de custo relativamente elevado, ao que se acrescem despesas com desapropriação e compensações ambientais, mas que deverá eliminar graves entraves à mobilidade urbana, decorrentes do tráfego ferroviário. Porém, até agora não saiu do papel e não frequenta mais as pautas de notícias dos meios de comunicação de Divinópolis. Por isso, a pergunta: cadê a construção do contorno ferroviário?

 Candidatos terão chance de se elegerem se atenderem esta pauta 

- Como terminar o hospital público e colocá-lo funcionando com regularidade?

- Como tirar das pranchetas as obras prometidas para o anel rodoviário?

- Como convencer a empresa, “Nascentes das Gerais”, a duplicar a MG-050 de Divinópolis até Belo Horizonte?

- Como construir o anel ferroviário?

- Como livrar a UPA Padre Roberto do caos em que se encontra?

- Como resolver a questão da violência urbana e rural?

- Como gerar emprego e renda? 

Para doar agasalhos e cobertores, basta entregar no ônibus de seu bairro 

O Consórcio TransOeste lançou mais uma linda ação de solidariedade: a “Campanha do Agasalho 2018”. Doe agasalhos e cobertores em bom estado de uso e conservação e aqueça aqueles que mais precisam neste inverno.

Pontos de coleta: ônibus coletivos de Divinópolis e postos de venda próprios do cartão DivPass.

Para mais informações, ligue: (37) 3222-6788.

Comentários
×