Fazendo força para cair

 

Depois de mais um vexame no Campeonato Brasileiro, com goleada de 4 a 1 para o Santos na Vila Belmiro, a Série B está ainda mais perto do Cruzeiro, que vê o risco de queda subir para 41%, faltando apenas quatro jogos para o término da competição nacional. O sonho da salvação vai ficando mais distante e o desespero já toma conta de muita gente.

Nada se salva 

Os torcedores mais otimistas ainda procuram ao que se apegar, na tentativa de evitar que um desastre maior se torne real. Mas não tem jeito, para todo lado que se viram nada vêem que dê esperanças de dias melhores. A cada jogo, um novo desastre anunciado, com a bola queimando nos pés dos jogadores, e a equipe azul se tornando presa fácil para seus adversários. 

Tá difícil 

Num campeonato em que poucos times se salvam, a grande verdade sobre essa equipe do Cruzeiro é que são os próprios jogadores celestes que fazem força para o time cair. Fizessem eles um mínimo de esforço, jogando apenas parte do que podem e sabem, tirariam a Raposa do buraco em que se meteu.

Mas não é isso que ocorre, a cada nova partida pior fica a situação, com a atuação de determinados atletas levando ao desespero a China Azul. E neste momento de tristeza para muitos, se alguma verdade ainda existe é a de que o Cruzeiro é seu maior adversário em campo. É tudo que os jogadores não conseguem produzir que vai levando o time para o buraco. 

Nova postura 

E se não acontecer uma mudança de postura nas últimas rodadas do Brasileirão não haverá salvação. Todos terão que repensar o futuro, e a diretoria que se prepare para viver um drama ainda maior, pois terá que trabalhar dobrado para mudar o rumo da história em 2020, evitando que o clube entre em seu centenário (que será comemorado em 2021) vivendo um drama infinitamente maior. 

Sem grana 

E que ninguém se engane, a partir do próximo ano, mais difícil será a vida para os grandes que forem rebaixados. Ao contrário de anos anteriores, quando os clubes que caíram mantinham parte da grana a que teriam direito estando na Série A, para 2020 a história será outra. A receita será zerada e o clube que cair verá a cota de televisão despencar ainda mais e, sem a grana da tevê, os times terão que se virar por conta própria. Será um deus nos acuda, e que a torcida tenha muita paciência, porque disputar a Série B ficará ainda mais difícil a partir da próxima temporada. 

Cabulosas são 100% no Mineiro 

Enquanto os marmanjos contabilizam vexames no Campeonato Brasileiro deste ano, as jogadoras do time feminino estrelado escrevem novos e belos capítulos na história do clube azul. Em apenas nove meses de existência, elas já vão para sua segunda final. Depois do vice no Brasileiro Feminino A-2, as cabulosas estão na decisão do Campeonato Mineiro. 

Campanha 100% 

A equipe estrelada faz campanha para ninguém colocar defeito, com 100% de aproveitamento no estadual. Com oito vitórias em igual número de jogos, as cabulosas ainda têm o ataque mais positivo, com 44 gols marcados, e a defesa menos vazada, com nenhum tento sofrido. 

Nova goleada 

No duelo de volta da semifinal, debaixo de muita chuva na Toquinha, na tarde de sábado, 23, as meninas da Raposa golearam o Ipatinga por 8 tentos a 0, com gols de Miriã (3), Janaína, Duda, Kim, Hingredy, e um contra. 

Final inédita 

A grande final, no clássico contra o América, será disputada no dia 7 de dezembro, às 17h, no estádio das Alterosas, Sesc Venda Nova, na grande Belo Horizonte, e deve bater o recorde de público no estadual feminino.

José Carlos de Oliveira
jcqueroviver@hotmail.com.br

Comentários
×