Exportações crescem em Divinópolis e atingem melhor desempenho em 10 anos

 

 Pablo Santos

 Pelo quarto ano consecutivo as exportações cresceram em Divinópolis. Dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) apontam que as vendas para o mercado exterior ficaram próximo dos US$ 200 milhões e atingiram o melhor desempenho dos últimos dez anos.

De acordo com os dados do Secex, em 2018, as exportações chegaram ao faturamento de US$ 197,8 milhões. O desempenho é 2% maior na comparação com 2017, quando os negócios com o exterior encerraram com vendas de US$ 193,7 milhões.

O faturamento de 2018 foi o melhor desde 2009. Naquele ano, as exportações encerraram com US$ 110,3 milhões e, no ano seguinte, passaram para US$ 116,9 milhões. Já em 2011, os negócios com exterior somaram US$ 186 milhões, mas, no ano seguinte, voltaram a cair: US$ 119 milhões e, em 2013, passaram para US$ 106,5 milhões.

Em 2014, as exportações voltaram a despencar para US$ 68,5 milhões, e, depois desse período, o faturamento voltou a subir e se manteve em crescimento desde 2015.

República Dominicana, Peru e Turquia são os principais parceiros comerciais de Divinópolis. No ano passado, 96% da pauta de exportação foi de produtos siderúrgicos.

Brasil

O aumento das exportações se deu pelo segundo ano consecutivo após sucessivas quedas entre 2012 e 2016. O valor de US$ 239,5 bilhões comercializado em 2018 retoma aos níveis de 2013, quando foram vendidos US$ 242 bilhões.

Por fator agregado, houve crescimento das exportações de produtos básicos (17,2%, para US$ 118,9 bilhões) e manufaturados (7,4%, para US$ 86,6 bilhões), enquanto os produtos semimanufaturados registraram redução de 3,1% (para US$ 30,6 bilhões). Os principais mercados de destino das exportações brasileiras tiveram desempenho positivo: China (US$ 66,6 bilhões, com alta de 32,2%); União Européia (US$ 42,1 bilhões, +20,1%); e Estados Unidos (US$ 28,8 bilhões, +6,6%). A Argentina segue como principal parceiro comercial do Brasil na América Latina, mas as exportações para aquele destino (US$ 14,9 bilhões em 2018) caíram 15,5% na comparação com 2017.

Comentários
×