Enquanto empresas não emitirem laudo, moradores não poderão retornar

Anna Lúcia Silva

Moradores que deixaram suas casas após evacuação ocorrida na madrugada desta sexta, 8, em Itatiaiuçu, na região Metropolitana de Belo Horizonte e Barão de Cocais, região Sudeste de Minas, ainda não têm previsão de retornarem. Um alerta sonoro foi emitido nesta madrugada nas duas cidades informando o risco de rompimento das barragens da Vale e  Arcerlormittal. Segundo a Defesa Civil de Minas Gerais, a ação ocorreu de forma preventiva e as famílias somente poderão voltar aos imóveis com laudos que certifiquem a estabilidade das barragens.

 Em Itatiaiuçu, houve alerta para o risco de rompimento da barragem da Mina de Serra Azul, da ArcelorMittal. Assunto publicado em primeira mão pelo Agora, antes das 6h desta sexta-feira, 8. Já em Barão de Cocais a mina com risco de rompimento é a Congo Soco, da Vale. Ambas entraram na escala de risco. Todas as áreas estão isoladas e no município há um ponto de apoio e informações na região central.

Prevenção

Acompanhando as duas situações, o coordenador-adjunto da Defesa Civil Minas, tenente-coronel Flávio Godinho, disse que a evacuação ocorreu para preservar vidas e evitar tragédia semelhante a de Brumadinho, portanto, as duas empresas precisam emitir laudos de estabilidade das estruturas e só assim, as pessoas poderão retornar para os imóveis localizados em áreas de risco. Após evacuação as duas empresas encaminharam as famílias para locais seguros e hotéis, até que não haja mais riscos.

Godinho disse ainda, que esteve em Itatiaiuçu por volta de 3h e acompanhou todo o trabalho da Polícia Militar (PM), do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil para a retirada das pessoas de casa no povoado de Pinheiros, que fica a pouco mais de 2 quilômetros da barragem. Mais de 60 pessoas foram evacuadas e estão hospedas em um hotel em Itaúna.

O acesso à barragem foi fechado e não há previsão para ser aberto.

Empresa

A ArcelorMittal revelou em coletiva à imprensa que após a decisão de colocar em prática o plano de evacuação ocorreu após rigorosa avaliação e diálogo entre as autoridades administrativas locais. A empresa chegou à conclusão de que as cerca de 200 pessoas com moradias na jusante da barragem deveria ser evacuadas.

 A multinacional também esclareceu que desde o ocorrido em brumadinho tem investido em inspeções e monitoramentos na Mina I da barragem Serra Azul.

 Os membros da comunidade permanecerão acomodados no novo local enquanto testes adicionais estão em andamento e até que a segurança da barragem de rejeitos possa ser 100% garantida, como informou a empresa. 

 — Pedimos desculpas à comunidade local pelo transtorno, porém sabemos que esta é a decisão correta e sem dúvida a única decisão que poderíamos tomar. As autoridades locais concordaram. Procuraremos retornar as pessoas para suas casas o tão logo possível, embora a esta altura não seja possível dizer quando será. Especialistas continuam a inspecionar e analisar as condições da barragem de rejeitos e, no caso de terem que ser implementadas novas medidas para maior garantia da barragem, isso será feito o mais rapidamente possível. Agradecemos a compreensão dos empregados e da comunidade, neste momento difícil — declarou o presidente da ArcelorMittal Brasil, Benjamin Baptista.

Mina de Serra Azul

A mina de Serra Azul está localizada em Itatiaiuçu, localidade de Pinheiros, região Metropolitana de Belo Horizonte. Ela produzia 1,2 milhões de toneladas de concentrado e minério granulado. A barragem de rejeitos, que é do tipo à montante está desativada desde outubro de 2012.  É a única do tipo “à montante” dentre as barragens da empresa

 

Comentários
×