Emprego na construção civil deixou a desejar

Pablo Santos

O emprego na construção no Centro-Oeste caiu em 2019, conforme os números apresentados pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg). No setor de obras de infraestrutura, o corte foi considerável. Em contrapartida, a construção de edifícios cresceu. Em Divinópolis, o segmento cortou também postos de trabalho formal.

De acordo com os dados apresentados pela Fiemg, foram encerradas, no ano passado, 140 vagas no setor de construção civil nas 76 cidades da região. No exercício anterior, o cenário foi diferente. Segundo os dados, foram criados 89 postos com carteira assinadas no Centro-Oeste em 2018.

Em 2019, a construção cortou oportunidades no segmento de obras de infraestrutura. Ainda de acordo com a Fiemg, foram encerradas 288 vagas formais. Já no ano anterior, o resultado fechou positivo em 300.

Por outro lado, a construção de edifício na região registrou números positivos. Foram abertas, no ano passado, 149 oportunidades com carteira assinada. Já em 2018, o resultado foi negativo em 200.

Em Divinópolis, a construção encerrou um maior número de postos quando se compara com a região. De acordo com o Ministério da Economia, no ano passado foram cortadas na cidade 256 vagas com carteira assinada. Em 2018, também houve encerramento de oportunidades: 114.

Previsões

Em 2020, a expectativa é de crescer 3%. Ressalta-se que o Produto Interno Bruto (PIB) geral tem previsão de aumento em 2019 de 1,3%, e, no ano que vem, avanço de 2,2%.

Com o PIB da construção positivo neste ano, o setor encerra a série de queda apresentada desde 2014 – em 2017 o segmento da construção chegou a ter retração de 9,2%. De 2014 até o ano passado, o indicador despencou 30%.

Para o emprego na construção civil, as perspectivas são de crescimento de 1,8%, alcançando 2.331.586 o estoque de trabalhadores no setor.

Comentários
×