Em clássicos não há favoritos

Batendo Bola

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br

 

O sorteio das oitavas de final da Copa Libertadores de 2018 colocou frente a frente os dois líderes do Campeonato Brasileiro — Flamengo e Cruzeiro —, que seguem firmes na briga pelo título da temporada, e um dos dois ficará pelo caminho no torneio continental no mês de agosto.

Mas nem bem foi definido o sorteio, já começaram a pipocar por todas as “bandas” os palpiteiros de plantão, as “mães Dináhs” da vida, com cada um puxando a sardinha para o seu lado.

Mas por mais que tenha de explicar suas preferências por um ou outro, ninguém consegue realmente dizer o porquê de chegar a determinada conclusão. E não há como se explicar mesmo. Em clássicos entre dois gigantes do futebol brasileiro, não tem como apontar favorito.

Se algum dos “sabichões” sabe o que irá acontecer nos dois duelos entre a Raposa e o Urubu, bem que poderia me passar logo os números da Mega-Sena, para que eu possa fazer uma “fezinha”.

 De bom tamanho 

É uma frase batida, que deveria ser a linguagem padrão de todo boleiro, mas mesmo assim vai lá: quem pretende ser campeão não tem que escolher adversário, enfrenta o que vier pela frente.

A verdade é que, dentre todos os confrontos possíveis, ficou até de bom tamanho, para flamenguistas e cruzeirenses, o duelo entre os dois logo de cara.

E por motivos bem simples, bem ao gosto das duas torcidas. Aquele que se der bem entre os dois segue ainda mais forte na briga pelo título do torneio continental. Ao que for eliminado, resta o consolo de saber que mais tempo terá para se dedicar ao Campeonato Brasileiro.

Com os dois nas duas primeiras posições no Brasileirão, sair agora na Libertadores será, sim, doído, mas sempre haverá o consolo de saber que ainda terá mais uma taça a disputar.

Se isto servirá de consolo, não sei, mas que esta é uma grande verdade, lá isto é.

 MANGUEIRAS BRASIL

 Cumprindo os objetivos do semestre 

E o torcedor da Raposa, das Minas Gerais, tem um motivo a mais para não se preocupar, agora, com os confrontos contra o Urubu. O técnico Mano Menezes e seus comandados cumpriram todos seus objetivos e promessas do primeiro semestre, com o time sendo campeão estadual, classificado em primeiro lugar de seu grupo na Libertadores e em vantagem por vaga nas quartas de final da Copa do Brasil, no duelo contra o Atlético do Paraná.

E querer mais do isto já seria pedir demais.

 Na hora certa 

E tem um detalhezinho a mais para o torcedor não esquentar a cabeça com o Flamengo, agora, e nem na hora da decisão. Desde quando assumiu o comando do Cruzeiro, o técnico Mano Menezes se notabilizou por saber como comandar o time em jogos decisivos. Sempre que cobrado em grandes jogos, o time celeste responde à altura.

 Tite e seus preferidos 

Vai chegando a hora da verdade para a seleção brasileira comandada pelo gaúcho Tite, na Copa do Mundo da Rússia. De hoje a sete dias, será dado o pontapé inicial para a disputa, com o duelo entre os donos da casa e a seleção da Arábia Saudita. O Brasil estreia apenas no domingo, 17, às 15h, contra a Suíça.

 Dúvidas 

Um pequeno detalhe vem preocupando o torcedor brasileiro neste início de preparação do Brasil. E este se refere a esta mania que o treinador tem de fazer uma força fora do comum para contar com seus preferidos na Copa.

Foi assim com o lateral direito Fagner, que foi convocado sem estar 100% fisicamente e ainda é agora com Renato Augusto, que se apresentou contundido e até hoje não foi liberado para treinos.

Pode até não ser nada demais, mas esta preferência que Tite dá a seus “afilhados” poderá colocar todo o trabalho a perder.

Esperamos que não, mas que o risco existe, isto existe!

Comentários
×