Eleições

Adriana Ferreira 

O analista político Bob Clementino ultimamente tem levantado, aos possíveis candidatos ao cargo de mandatário maior, questionamentos urgentes e pertinentes da cidade. São temas relevantes que não permitem mais ser apenas promessas de campanha. Bob Clementino não visa às curtidas e respostas nas redes sociais! Na verdade, se eu o conheço bem, ele está verificando até onde estamos por dentro dos reais problemas da cidade, e dizendo para nós, eleitores, “Não se deixe enrolar se isso aí virar promessa de campanha. Não é tão simples resolver”. E, claro, “Esse assunto só jogarão para a galera. Nem sabem do que estão falando”. Continue nos educando politicamente, caríssimo Bob. Só não aprende quem não quer.

Eleições II

Tem político que, visando à reeleição, está indo às obras públicas em andamento, pegando as ferramentas do operário e simulando estar ali trabalhando. É simulação de capina, de tapar buraco, de varrer rua e por aí vai, como se quisesse convencer que é “pau para toda obra”, que pega e faz. Divinópolis também tem desses. Por favor, menos, bem menos! É preciso que saibam que não estão ajudando, estão atrapalhando e muito. Sem falar que existem normas de segurança de trabalho que os senhores desconhecem.  É uma situação para rir de tamanho desatino e para lamentar. Sugestão para os trabalhadores incomodados em seus locais de trabalho por político sem noção: vá ao gabinete dele e se sente em sua cadeira. Faça o trabalho dele. Ora, direitos iguais! O único receio é que, se na obra pública o político normalmente só atrapalha, corre o risco de o braçal se sentar em sua cadeira e fazer melhor. Haja paciência!

Rinaldo Valério I

Mais uma vez é notícia e de forma negativa.  Rinaldo Valério é um médico excelente, embora seja uma pessoa extremamente ansiosa, e na política isso não é nada saudável. O resultado será sempre meter os pés pelas mãos. Há uns 25 anos, quando eu o vi pela primeira vez, ele faria uma cirurgia em minha mãe. Meu saudoso pai, meus irmãos e eu passamos o dia no Hospital São Judas Tadeu aguardando pela cirurgia. No meio da tarde, soubemos que minha mãe não havia sido operada. Quando indagamos a uma enfermeira, ela disse que o cirurgião viria falar conosco sobre o que impediu minha mãe de ser submetida à cirurgia. Nisso, irrompe na sala um homem todo de branco correndo para nossa direção. Eu me assustei e disse na maior inocência: “acalme-se”, e ele gritou comigo: “Isso lá são modos de falar com um médico?”. Aí ele explicou: “a senhora Justina teve um princípio de febre, por isso não pude operá-la”. Dois dias depois, ele fez a cirurgia, e uns 25 anos depois minha mãe está aí firme e forte e, segundo o seu cardiologista, o brilhante médico William Magalhães Mesquita, ela viverá ainda uns 120 anos. Com médicos como Rinaldo Valério e William Magalhães Mesquita é bem capaz mesmo. Aleluia!

Rinaldo Valério II

Por que falo isso? Simples, eu mesma já fui sua paciente. Recomendadíssimo! Embora seja agitado, é um médico do qual só se ouve falar bem. De religiosos, ouve-se que é um instrumento de Deus para restabelecer a saúde. Quantas vidas terá salvado em sua carreira? Milhares, dezenas de milhares. Manejando o bisturi é de uma calma celestial. Na política, precisa ser assim também. Ele precisa entender que o bisturi da política é mais afiado, e, ao contrário do bisturi médico, que é utilizado visando à vida, o da política quer é destruir. Rinaldo precisa exercer a temperança, embora ter domínio sobre os impulsos não seja nada fácil. Quando começar a trazer para a vida política a calma, a serenidade e o profundo estudo de caso, não mais cairá em armadilhas, como quando foi filmado com assessores parlamentares, levando grande parte da população  a acreditar que estava tramando contra Galileu, e, como se não bastasse, essa aventura jurídica cobrando do Município a recontratação de um de seus assessores, demitidos em razão  do imbróglio  que culminou na ruptura da relação com o prefeito Galileu. A nomeação e a demissão são atos discricionários do prefeito, Rinaldo Valério!  É como o bisturi em sua mão na sala de cirurgia. O controle é seu! O alto da avenida Paraná ainda é do Galileu, queiramos ou não.

Prefeitável

Para o atual prefeito e o próximo: o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), em vez de separar a Vara de Execuções Criminais da Vara da Infância e Juventude, visto que a lei estabelece que municípios com mais de 100 mil habitantes devem ter a Vara da Infância separada de qualquer outra, está avaliando o fechamento de mais uma vara cível aqui em Divinópolis.

Comentários
×