Dia das Crianças promete aquecer o comércio

Fim de semana deve ter horário especial no atendimento para quem deixou para a última hora

Jorge Guimarães 

Faltando poucos dias para o Dia das Crianças, celebrado em 12 de outubro, a data promete movimentar as vendas do varejo, especialmente agora, com o avanço da vacinação contra o coronavírus. Espontaneamente, os setores que mais vendem nesse período são os de roupas, brinquedos, calçados, games e doces. 

E assim, nos próximos dias, e especialmente no sábado, a data deve aquecer as vendas na cidade. Apesar da pandemia de coronavírus, a data será uma espécie de “aquecimento” para a retomada das vendas de fim de ano. 

— Historicamente falando, períodos após depressões econômicas e sociais, como foi a pandemia, costumam ser seguidos de crescimento no consumo. Existe uma demanda reprimida, as pessoas ficam mais confiantes em sair de casa, ir a um restaurante, fazer uma viagem, presentear e comemorar junto com amigos e familiares. Pois assim estamos muito confiantes para as vendas de fim de ano, a partir desta data comemorativa — avalia o empresário do setor de confecções infantil, Dalmo Faleiro.

 

Campeões de vendas 

E, mais uma vez, conforme pessoas ouvidas pela reportagem, os produtos mais visados neste dia serão as roupas, calçados, seguidos dos mais diversos itens de brinquedos, como bonecas, jogos de tabuleiro e educativos. 

— Estou fazendo a minha pesquisa de preços, como já faço há anos. Passei aqui para ver alguns brinquedos, mas os principais serão as roupas e os calçados e, de lembrancinha, alguns brinquedos para os mais pequenos — disse a dona de casa Márcia Santos.

A reportagem esteve também em um supermercado, pois, hoje em dia, ninguém quer perder a oportunidade de ter um mix de produtos para atender a clientela. 

— Sempre nessa data, separamos um local especial para que seja colocada uma certa variedade de brinquedos.  E a cada ano as vendas vêm aumentando, nos dando o feedback de que estamos no caminho certo — definiu o gerente Walter Wagner.

 

Horário especial

A legislação divinopolitana atualmente não impõe nenhuma restrição para o funcionamento do comércio em horário ampliado nos dias 9 e 11 de outubro, cenário que pode ser alterado se a reunião do Comitê Municipal de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19, que será realizada amanhã, indicar piora dos índices.

Assim, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis sugere que o horário de funcionamento neste sábado, 9, seja das 9h às 16h e, entre 9h e 20h na segunda- feira, 11. 

As empresas do comércio que queiram ampliar seu horário de atendimento nos dias 9 e 11 e solicitarem o trabalho dos funcionários durante o horário ampliado deverão remunerar as horas extraordinárias com 100% de acréscimo ou aproveitar saldo existente em banco de horas.

 

Funcionamento no feriado

As empresas do comércio em geral que eventualmente tenham o interesse de abrir suas portas no dia 12 somente estarão autorizadas a convocar os trabalhadores se tiverem antecipado o gozo do feriado de 12 de outubro de 2021 durante a vigência da Medida Provisória 1.046/2021 ‒ com folga antecipada concedida entre 28/04/2021 e 25/08/2021.

As empresas devem verificar com seus contadores e advogados a situação documental da antecipação do feriado, antes de convocar o empregado para o trabalho. 

Recomenda-se ainda às empresas do comércio de gêneros alimentícios e shopping centers que entrem em contato com o sindicato patronal para esclarecimentos técnicos jurídicos específicos relacionados à abertura em 12/10/2021.



Brasil

A expectativa de consumo para o Dia das Crianças deste ano reforça a tendência de uma recuperação gradual do varejo. Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) Brasil em todas as capitais aponta que 72% dos brasileiros devem ir às compras no Dia das Crianças. A expectativa é de que o varejo movimente aproximadamente R$ 10,93 bilhões.

Conforme a pesquisa, em média, os consumidores pretendem comprar 2,19 presentes ‒ número que aumenta entre as mulheres. No total, o consumidor deve desembolsar R$ 200 com os presentes. A maioria pagará os produtos à vista (82%) e 38% planejam pagar parcelado. As principais formas de pagamento serão: dinheiro (45%), cartão de débito (38%) e cartão de crédito parcelado (36%). Entre os que vão dividir o pagamento das compras, o número médio de parcelas será de quatro prestações.

— Há muitas expectativas em relação ao Dia das Crianças, porque pode sinalizar um Natal com crescimento nas vendas. A retomada das atividades e o avanço da vacinação dão esperança ao setor, que conta com o aumento das vendas para compensar as perdas dos últimos dois anos causadas pela pandemia — explica o presidente da CNDL.

 

Comentários
×