Deputado destina R$ 1,2 milhão para segurança no Centro-Oeste

Da Redação

Uma das bandeiras defendidas pelo Deputado Estadual Fabiano Tolentino (PPS) é a necessidade de investimentos na segurança pública. Ele tem chamado atenção para a importância de se buscar soluções urgentes para esse problema, que requer atenção especial dos entes públicos. As informações são da assessoria do parlamentar

— A falta de segurança atingiu níveis alarmantes, por isso é necessário combater esse mal com ações enérgicas. Nossas forças policiais precisam estar bem equipadas para desempenhar seu trabalho, tão crucial para a sociedade — disse o deputado.

Do total de R$ 1,5 milhão que cada deputado mineiro pode destinar em emendas parlamentares por ano, Tolentino destinou para a segurança pública R$ 500 mil em 2017 e está destinando R$ 1,2 milhão em 2018. Ainda de acordo com a assessoria, recentemente, ele entregou para a Polícia Civil de Divinópolis uma viatura e os equipamentos e mobiliário um laboratório toxicológico, que atenderá 50 cidades na região, ajudando no combate ao tráfico de drogas.

Fabiano está destinando, segundo a assessoria, “recursos também para a Polícia Militar, por meio da aquisição de motos, viaturas e kits Reds, que contêm coletes a prova de balas, escopetas calibre 12, munição e rádios, entre outros itens”.

— De posse desse equipamento, os policiais terão mais eficácia e segurança para atuar no combate à criminalidade. O presídio Floramar, em Divinópolis, também foi contemplado com recursos, que serão utilizados para reformar a unidade. O Corpo de Bombeiros de Divinópolis também contará com recursos, que serão destinados à construção e reforma na unidade — conta o deputado.

Segurança no campo

Tolentino é autor do Projeto de Lei 3.749/16, que cria o Plano Estadual de Segurança e Defesa do Campo, com o objetivo de reduzir a violência na zona rural. O plano prevê a criação de delegacias especializadas na repressão de crimes contra o patrimônio ocorridos em zonas rurais e promove a cooperação entre os órgãos segurança e de fiscalização tributária, para coibir a circulação de mercadorias e bens cuja origem lícita não seja comprovada.

O parlamentar defende também o porte de arma para produtores rurais.

— O sentimento de insegurança vivenciado nas cidades é sentido também no campo. Como o Poder Executivo não toma providências para reverter esse quadro, torna-se necessário dar amparos legais para que o produtor se defenda, e uma destas normas seria o armamento de quem mora no campo — comenta.

Comentários
×