Coronavírus mantém a confiança dos industriais mineiros em nível historicamente baixo

 

Da Redação

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), divulgado pela Fiemg nesta quarta-feira, 20, registrou 37,6 pontos em maio, apontando falta de confiança dos industriais mineiros.

O indicador aumentou 4,2 pontos frente a abril (33,4 pontos), mas não foi suficiente para reverter a queda de 26,8 pontos ocorrida no mês anterior – a maior da série histórica. A manutenção do índice em patamar muito abaixo dos 50 pontos – fronteira entre falta de confiança e confiança – é consequência da crise desencadeada pelo novo coronavírus, que vem provocando forte contração da atividade e grande incerteza quanto ao futuro da economia. O indicador recuou 19,1 pontos na comparação com maio de 2019 (56,7 pontos) e ficou muito abaixo da sua média histórica (55,4 pontos).

O componente de condições atuais caiu 4,7 pontos ante abril (34,5 pontos) e marcou 29,8 pontos em maio, mantendo a trajetória de queda verificada desde o início do ano. O resultado mostrou empresários de todos os portes das indústrias – pequenas, médias e grandes – mais insatisfeitos com a situação atual das economias brasileira e mineira e de suas empresas.

Em relação às expectativas houve um aumento de 8,7 pontos entre abril (32,8 pontos) e maio (41,5 pontos) e foi responsável pela elevação do índice de confiança no mês. O indicador, que acumula queda de 25,7 pontos em 2020, continuou sinalizando pessimismo dos empresários com relação às economias do país e do estado, e com seus próprios negócios. O índice recuou 20,3 pontos frente ao observado em maio de 2019 (61,8 pontos).

 

Clique aqui e confira a íntegra da pesquisa de maio.

Comentários
×