Clubes estendem férias

José Carlos de Oliveira

A pandemia da Covid-19 está longe de um fim e o futebol terá seus jogos suspensos ainda por um bom tempo, sem data para retomar seus campeonatos. Para amenizar o desgaste com o calendário, os clubes tentam medidas que possibilitem a continuidade de todos os torneios marcados para este ano.

Reuniões vêm sendo mantidas em todos os níveis, com todos buscando caminhos que levem à retomada do futebol em todo o país. Com os efeitos do coronavírus devendo demorar ainda um bom tempo, nesta semana clubes das Séries A e B decidiram prolongar o período de férias de seus jogadores por mais 10 dias, até o fim do mês de abril, abrindo possibilidade de o calendário de futebol no Brasil entrar nos meses de dezembro e janeiro.

No âmbito estadual, a Federação Mineira de Futebol (FMF) ainda não definiu a data para reinício dos campeonatos dos Módulos I e II. Na divisão principal ainda faltam ser realizadas duas rodadas da fase de classificação e os duelos das semifinais e finais. Já o Módulo II ainda tem mais cinco rodadas da primeira fase a serem disputadas e todo o quadrangular final, com seis rodadas.

Férias

Para esticar o calendário, os clubes das Séries A e B do Brasileiro, em reunião com a diretoria de competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), decidiram estender o período de férias dos jogadores em mais dez dias. Com isso, a volta dos atletas às atividades, inicialmente prevista para 21 de abril, ocorrerá apenas no dia 1º de maio em ao menos 37 dos 40 clubes das duas primeiras divisões nacionais. Apenas Flamengo, Vasco da Gama e Botafogo, todos do Rio de Janeiro, não se manifestaram.

A decisão de ampliar as férias dadas aos jogadores no começo deste mês se dá em um cenário de total indefinição sobre a retomada das competições no futebol nacional em função da pandemia do coronavírus. A ideia da Comissão Nacional de Clubes é que todos os torneios previstos no calendário sejam disputados. Por isso, a ampliação das férias permite a conclusão de toda a temporada.

Mineiro Módulo II

O Campeonato Mineiro do Módulo II ainda tem mais cinco rodadas da primeira fase e todo o quadrangular final a serem disputados, e a possibilidade de não ter atletas sob contrato para a continuidade da competição preocupa os dirigentes.

A maioria dos clubes que participam do torneio, entre eles o Guarani de Divinópolis, têm atletas sob contrato apenas até o fim do mês de maio. Com a disputa se estendendo por mais tempo, terão que prorrogar os contratos de todos para ter como colocar times em campo na reta final do estadual.

Reunião

Para a semana que vem, na quarta-feira, 22, está marcada uma reunião entre os dirigentes das equipes que disputam o Módulo II e o presidente da FMF, Adriano Aro Ferreira, para discutir medidas que ajudem os clubes.

A maior preocupação dos dirigentes é com a questão financeira, já que os times que disputam o torneio têm apenas a bilheteria como fonte de renda, e, com os contratos se estendendo por mais tempo, terão que gastar um dinheiro que não possuem. 

Na reunião, a ideia dos clubes é cobrar da Federação, a mesma ajuda que a CBF deu aos times que disputam os campeonatos brasileiros das séries C e D.

Comentários
×