Chatura

No esporte, culturalmente falando, ganhar nem sempre é o principal. Só que no Brasil, onde a cultura sempre esteve em baixa, o segundo lugar ou o vice-campeão nada vale, é como se nem houvesse competido ou ficado em último lugar. Foi assim no primeiro jogo da Copa do Mundo, onde, mesmo voltando de uma contusão que lhe custou quase quatro meses de um tratamento ferrenho, o maior jogador brasileiro não foi poupado. É que o torcedor, de um modo geral, tem uma doença que se chama ganhar. Empatar com um grande time, mesmo que tenha sido prejudicado pelo árbitro, não vale nada. O torcedor é um chato.

Foi assim...

...com Neymar, o nosso maior ídolo da atualidade e um dos três melhores do mundo. Bastou que ele pintasse o cabelo de forma diferente, e não conseguisse uma grande atuação, ou mesmo fazer um gol para que os memes se sucedessem com profusão na internet. O cara recebeu 10 das 19 faltas cometidas pelo time da Suíça, e foi marcado invariavelmente por três ou mais jogadores, que lhe bateram com vontade durante os 90 minutos. O cara não fugiu do jogo e nem da violência. Na véspera, o seu grande rival Messi, além de não jogar bem, ainda perdeu um pênalti, e não se tem notícia de que na Argentina houve algum sacrifício público do grande ídolo.

Tudo previsto

Conforme a previsão de todos os articulistas de Brasília, os ministros do STF da chamada segunda turma, que absolve todos os envolvidos no escândalo da Petrobrás e que sejam do PT, mandaram arquivar o processo contra a senadora Gleisi Hoffmann e seu marido. Cometeram, de acordo com as provas dos autos, os mesmos crimes que os tribunais de Curitiba e Rio de Janeiro não perdoam, é cadeia mesmo.

O grande perigo

De uma a forma geral, os meios políticos estão muito apreensivos para um julgamento que acontecerá no dia 26, terça-feira da semana que vem. Mais uma vez, os petistas, através dos seus advogados, conseguiram marcar um julgamento para Lula, que já não tem mais onde recorrer. Porém, como o STF é um tribunal imprevisível, o ex-presidente está pedindo para que tudo que aconteceu com ele até agora seja zerado, e que ele possa concorrer à presidência. Particularmente, tenho medo de uma decisão favorável, pois, se ela vier e Lula for solto, não se sabe o que pode acontecer neste país e nem mesmo se haverá eleições.

Como o julgamento...

...será feito pelos 11 ministros, é possível que Toffolli, Lewandowski e Gilmar Mendes, além de um imprevisível Marco Aurélio Mello, sejam favoráveis a tudo de bom que já aconteceu em Curitiba, Rio de Janeiro e em Brasília. Os novos rumos deste país poderão ser escritos de outra forma se o ex-presidente for solto. Melhor que haja, desde já, uma grande pressão midiática antes de o povo ir para as ruas. Se Lula for solto, é bem provável que a tão falada e decantada intervenção militar aconteça. Isto não seria bom, mas, em compensação, algo de notável seria visto, além de ser uma grande oportunidade de mandar muita gente ir trabalhar em outra cidade, em outro estado. O estado de direito passará a ser um direito de estado, onde os militares poderiam melhorar as coisas por aqui, já que piorar parece impossível.

Erramos

A coluna informou ontem que os vereadores haviam aprovado o projeto que proíbe vendas de bebidas em recipientes de vidro em eventos e o que trata de afixação de cartazes sobre descarte de óleo vegetal. Na verdade, as propostas chegaram a entrar em pauta, mas foram retiradas.

Comentários
×