Cantáteis proporciona lazer e cultura

Instituições são contempladas com diversas apresentações

 

Jorge Guimarães

O “Projeto Cantáteis: canto em verso e prosa” encerrou, na sexta-feira, dia 16, as visitas às instituições contempladas com suas apresentações. O projeto, aprovado na Lei Municipal de Incentivo à Cultura, visitou asilos, casas de acolhimento e escolas para pessoas com deficiência. Nas apresentações, muita alegria distribuída e muito amor compartilhado.

– Participar do projeto Cantáteis foi uma experiência única. Pude perceber a importância das coisas simples. Conheci novas pessoas que vivem em situações difíceis e que me ensinaram a dar mais valor em tudo na minha vida. São lições e valores que vou levar para sempre comigo. Nas visitas, buscamos sempre levar o máximo de alegria e amor para as pessoas presentes. Acredito que fez bem tanto para nós, integrantes do projeto, quanto para eles. Quero continuar fazendo visitas e apresentações, pois é muito gratificante e, afinal, fazer o bem faz bem – avalia a aluna e cantora Vitória Florisbelo. 

Na opinião do professor e idealizador do projeto, Eduardo Maia, o mais interessante foram as surpresas.

– Íamos, nas primeiras apresentações, muito “armados” e cheios de pretensões, mas, em muitas ocasiões, as demandas eram outras. O aprendizado maior do projeto que fica, sem dúvida, é o da simplicidade. Muitas vezes, um olhar, um abraço, um tempo que temos disponível para o outro basta, e se torna tão necessário como o simples ato de respirar – comenta o professor.

Visitas

O projeto visitou duas vezes a Vila Vicentina, o Lar dos Idosos, as Obras Assistenciais Frederico Ozanan e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Divinópolis (Apae). Com as visitas, buscou cumprir o objetivo proposto: levar momentos de cultura, lazer, diversão e socialização a idosos e crianças com deficiência.

Interessante também é perceber o olhar de quem vê a iniciativa por fora, nos bastidores, como é o caso do pai de uma das alunas do projeto, Maurício Couto.

– O Projeto Cantáteis é um diferencial na metodologia do aprendizado. Com a maestria e sensibilidade do professor Eduardo Maia, traz a cultura como canal de crescimento do aluno. Num mundo cada vez mais artificial e robótico, ensina a ética, a sensibilidade e a valorização de nossas raízes e, sobretudo, planta a semente da criatividade num tom colorido de alegria e de bem viver como sociedade –  complementa.

Integrantes

Participaram da primeira temporada: a empreendedora cultural e cantora do projeto Clecília Maia; o músico e empreendedor cultural Eduardo Maia; o sanfoneiro Élcio Souza; e as alunas cantoras Sophia Couto, Giovanna Bueno e Vitória Florisbelo.

– Agora, nas férias, vamos avaliar os resultados, aprimorarmos o projeto e seguir em frente, levando música, diversão, amizade e leveza a quem tanto precisa, e, muitas vezes, fica impossibilitado de ter acesso a este bem tão importante para as nossas vidas, que é a cultura – complementa Clecília.

 

Comentários
×