Campus da UFSJ produz álcool em gel para destinar à Semusa

Paulo Vitor Souza

O álcool em gel é o grande legado do surto do H1N1 que o Brasil enfrentou em meados de 2009, quando a substância começou a ser usada em larga escala para prevenção do contágio da doença. De lá para cá, ele se popularizou e é uma das formas de higiene mais eficaz no combate ao coronavírus.

O preço do produto aumentou muito no último mês, fazendo com que órgãos de proteção ao consumidor  movessem ações contra práticas abusivas no comércio do produto. Em Divinópolis, poucos dias atrás era quase impossível encontrar um frasco do produto, tamanha era a procura. E piorou na última semana, quando os casos de coronavírus foram aumentando.

Como forma de ajudar a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) no enfrentamento ao surto da doença que ameaça a cidade, o Campus da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) em Divinópolis passou a produzir álcool em gel dentro de laboratórios da própria universidade.

A ideia surgiu depois que o Ministério da Educação (Mec) solicitou apoio das universidades federais para a contenção do vírus. O curso de Farmácia da unidade se mobilizou para a produção.

—  De maneira geral temos produzido entre 40 a 50 litros de álcool em gel e álcool 70% líquido nos nossos laboratórios. Contamos com dois turnos diários com quatro pessoas acompanhados por um técnico de laboratório — explicou o professor Renê Oliveira do Couto, farmacêutico e vice coordenador do curso de Farmácia da instituição.

O professor explica que é essa a forma que a universidade tem contribuído para frear o avanço do surto. Segundo ele, a equipe foi montada com estudantes, técnicos e outros colaboradores da universidade.

— Foi uma necessidade prática levantada pelo Ministério da Educação (...). Nós temos cinco grupos com 20  pessoas ao todo. Cada equipe de quatro pessoas vem trabalhar na universidade apenas por duas vezes na semana por meio período para evitar assim a exposição (...). Estamos distribuindo para a Semusa, para o Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) e para a Prefeitura de Carmo do Cajuru (...). Ainda para os profissionais de saúde que estão à frente do combate da pandemia e para todo mundo que está no complexo do Sistema Único de Saúde (SUS) que estão dedicando seu tempo, sua saúde para ajudar nesse combate — ressaltou o professor Renê.

Entrega 

Nesta terça, 24, houve a entrega da primeira remessa d para as secretarias de Saúde de Divinópolis e de Carmo do Cajuru.

A equipe de produção do álcool em gel recebe doações insumos que possam auxiliar na fabricação do produto. Inicialmente, os componentes utilizados são da própria universidade, que já procura outras formas de obtenção dos materiais.

—  Estamos recebendo doações das próprias prefeituras. Eventualmente, se alguma empresa ou algum órgão público tiver algum material para doar para a gente, ficaremos muito agradecidos — finaliza Renê Oliveira.

Comentários
×