Cadê a reforma?

 

Já caminhamos para o meio de mais um ano e a esperada reforma administrativa do prefeito Galileu Machado (MDB) ainda não foi enviada para a Câmara. Muita expectativa gira em torno deste projeto porque ele é a chance de o prefeito “arrumar a casa” e fazer a máquina administrativa engrenar. Galileu herdou estrutura que foi montada pelo seu antecessor, Vladimir Azevedo (PSDB), e com isso ainda não conseguiu dar sua cara para o mandato.

Vereadores aguardam com ansiedade o projeto, porque é senso comum que a estrutura da Prefeitura precisa de enxugamento para gerar economia. No entendimento geral, algumas secretarias deveriam ser extintas nestes tempos de vacas magras porque hoje apenas geram despesa e autoconsomem o próprio orçamento. É fato que, para economizar, não precisaria necessariamente da reforma, bastaria não ter ocupado todos os cargos de livre nomeação como ocorreu, deixando a estrutura ainda mais inchada que na gestão anterior, já que o próprio Vladimir não usou todos os cargos de confiança a que tinha direito.

 Novos áudios 

Em conversa telefônica, o empreiteiro Marcelo Marreco demonstrou não estar nada satisfeito com o tratamento que vem recebendo nos últimos dias, em razão das denúncias que fez contra o prefeito Galileu Machado, a quem acusa de ter lhe oferecido um cargo em que não precisaria trabalhar apenas para não falar mal da administração. Marreco afirma que estão denegrindo a imagem de um cidadão que apenas quis contribuir com a cidade e não estariam dando os devidos créditos paras as denúncias que fez. Ele promete novas revelações e também gravações, a serem apresentadas durante o curso da CPI. A oitiva de Marreco está marcada para o próximo dia 25 de junho, mesmo dia em que deverá ser ouvido o prefeito Galileu Machado.

 Faltou qualificação 

O presidente do bairro Jardim das Oliveiras, Carlos Eduardo, o Cadu, acredita que a empresa Artec, que realiza a obra de interligação das redes na futura estação de tratamento de esgoto da Copasa, não fez uma boa seleção dos profissionais que executam o trabalho na avenida Mar e Terra, que dá acesso aos bairros da região. Ele acredita que este seja o motivo de vários problemas estarem acontecendo durante a obra, sendo mais recente deles a abertura de uma cratera no último fim de semana, prejudicando o tráfego na região. Em tempo, a empresa já tomou providências para sanar o problema, mas ainda não é possível mensurar a extensão dos anos. A vereadora Janete Aparecida (PSD), por exemplo, tem que a rua possa estar recebendo danos irreversíveis e que poderão requerer novas e caras intervenções no local. Ela já solicitou laudos técnicos da Defesa Civil.

 Autoestima 

A homenagem prestada para a Primeira-Dama do Teatro de Divinópolis, Irene Silva, articulada pelo gabinete do vereador Renato Ferreira (PSDB) em parceria com o secretário municipal de Cultura, Osvaldo André, mostrou que a cidade precisa de uma Agenda Positiva. A homenagem foi emocionante e todos os presentes saíram com outro semblante do Teatro Gravatá.

Muita coisa boa acontece e aconteceu na história de Divinópolis, o problema é que, com o advento das redes sociais, parece que muita gente só foca nas notícias negativas. O culpado provavelmente é o atual momento político do país. Ações leves e despretensiosas como esta resgatam a autoestima do cidadão e mostram que precisamos valorizar e reconhecer a nossa gente.

Comentários
×