BH A PORTER

BLOCO DE MODA 

Wagner Penna 

 

Em Belo Horizonte acontece o BH à Porter até 1º de novembro. O evento, organizado pela Cooperativa dos Consultores em Negócios de Moda de Minas Gerais (Coopermoda) leva 120 lojistas de diversos estados brasileiros para uma rodada de negócios em visitas às fábricas e showrooms na capital mineira. Os visitantes fazem um tour pelas marcas participantes, acompanhados de consultores profissionais, especializados nesse atendimento. Na última edição, realizada no primeiro semestre de 2017, foram recebidos compradores de 16 estados, e que girou aproximadamente R$ 3 milhões. A expectativa é ampliar em R$ 500 mil o volume de vendas nesta temporada. São esperados 300 lojistas. 

PELES  

A utilização de peles falsas nas grandes coleções já não é fato novo. Mas adesão de marcas top de linha nessa luta pela preservação dos animais chegou, agora, à italiana Gucci. Tudo para atender a nova geração (chamada de millenials e que não passam dos 30 anos) que quer estilo novo não só nas roupas, mas também na maneira de enxergar a moda. Ou seja, saber de onde vem, como vem, como é criada, o que tem na matéria-prima e por aí afora. Assim, pele autêntica, nem pensar. Por isso mesmo o estilista da marca, Alessandro Michele (o queridinho dessa turminha), convenceu a Gucci a abandonar as peles reais – inclusive se tornando membro da Fur Free Alliance. Diz que  Calvin Klein, Ralph Lauren, Tommy Hilfiger e Armani também já entraram nessa onda. Amém.  

FRIENDLY  

Em tempos de politicamente correto, a moda cada vez mais se engaja em campanhas bacanas. Uma delas vem da prestigiosa marca americana Tommy Hilfiger, que anunciou lançamento de roupas apropriadas para pessoas com deficiência.  Elas aparecerão na coleção esportiva de 2018. São 34 modelos para homens e 37 para mulheres. O fato não é novidade: há pouco tempo o estilista mineiro Geraldo Lima Júnior (radicado em São Paulo), lançou uma coleção com a mesma pegada friendly. Também a estilista Denise Gonçalves de Souza já fez coleção, com 13 peças, adequadas para as pessoas com deficiência – inclusive lançando o projeto “Inclusa Essa Concepção”. Um grande avanço fashion.   

VAIVÉM  

  • O Sindivest-MG elegeu sua nova diretoria, encabeçada pelo empresário Luciano Araújo. Uma composição harmoniosa da chapa (com renovação em algumas funções) garante mais um período de boas ações à frente da moda mineira. Além de proprietário da mais importante confecção de uniformes de Minas (a Provest, sediada em Ipatinga) ele é presidente da Fiemg Vale do Aço. 

 

  • A marca mineira PatBo comemorou sua nova parceria com a C&A, em lançamento de coleção verão onde sobressaem muitas estampas e bastante colorido. O lançamento foi em São Paulo, com presença da Patrícia Bonaldi e convidadas Vips. 

 

  • O mês de outubro teve outra feira de moda, além da Minas Trend. Foi a Veste Rio, realizada pelo caderno ELA (do jornal O Globo) e a revista Vogue. De Minas, foram algumas marcas de prestigio. 

 

  • O assunto da semana foi a acusação de uma marca colombiana indicando que a grife Skazi teria copiado um de seus modelos (usados pela blogueira Thassia Naves ). O fato foi desmentido pela marca mineira de prontga-entrega que, em nota oficial, disse que o fato foi apenas uma coincidência fashion.  

 PONTO FINAL   

Para concorrer com o fast-fashion e as vendas por meios digitais, algumas grifes estão recorrendo às emoções para promover suas vendas. A saber: ao invés de lojas frias, montam décor que lembra uma casa bacana, aconchegante e bonita - fazendo a cliente se sentir como se estivesse em seu lar. Algumas têm até cozinha funcionando de verdade. Com isso, conseguem vender para 90% das clientes que passam pela porta da “sala-de-visitas” e, também, criam uma fidelização jamais vista relação marca-clientes. Uma boa ideia. 

 

 

Comentários
×