Audiência da TV Câmara

Já escrevi aqui que a Mesa Diretora da Câmara deveria fazer uma pesquisa para avaliar o percentual de penetração da TV Câmara nos lares divinopolitanos. A média de visualizações das reuniões ordinárias, transmitidas via internet, de 13 de fevereiro último até nesse dia 17, foi de 170 pessoas. Tomando, pois, esse número como base e multiplicando por oito reuniões ordinárias, resulta que apenas 1.360 pessoas assistiram às reuniões da Câmara no mês. E a audiência da televisão ao vivo não deve estar longe desses números. Por que isso é importante?

É importante

Saber quantas pessoas em Divinópolis assistem nas terças e quintas- feiras às reuniões ordinárias é fundamental para, no mínimo, se ter noção de como os cidadãos veem o desempenho dos vereadores. Alguns não usam as redes sociais e outros o fazem com escassez. Os que as utilizam são mais conhecidos da população, e aqueles cuja assessoria não domina as várias plataformas digitais e contam apenas com a audiência da TV Câmara para falar aos seus eleitores podem estar sendo iludidos. Em regra, quando, em pontos de ônibus, nas ruas e bairros da cidade, se pergunta aos eleitores sobre a atuação dos vereadores na Câmara, a maioria responde que “não tem a menor ideia do que andam fazendo os vereadores”. Para quem duvida, encomende, então, uma pesquisa e veja quantas pessoas recebem notícias na semana sobre os vereadores, via TV Câmara!

Aposte nisto I

Pandemia de coronavírus vai adiar a realização de eleições municipais no país.

Aposte nisto II

Se houver eleições neste ano, com o coronavírus ditando os comportamentos, não haverá o corpo a corpo dos políticos com eleitores na busca de votos e a eleição será embalada pelas redes sociais.  Com a chegada do coronavírus ao Brasil e a falta de informação sobre quando termina o quadro da transmissibilidade do vírus pelo país, as eleições de 2020 serão marcadas pelo domínio cada vez maior das mídias sociais, seja para a disputa ao cargo de prefeito, seja para o de vereador. Com essa grande influência da comunicação pelas redes sociais no processo de formação de opinião do eleitor, é natural que, principalmente entre os partidos maiores, haja constante busca desse recurso nestas eleições. Vale lembrar que o próprio presidente Bolsonaro se valeu muito das redes sociais para se eleger em 2018 e os milhões de eleitores, chamados pela oposição de "robôs bolsominions", acabaram com as chances da esquerda de seguir governando o país.

Tiro no pé

Aumento salarial para vereadores em ano eleitoral em Divinópolis terá repercussão negativa, sobretudo, para aqueles que tentarão a reeleição. Hoje os vereadores (que recebem R$ 11.572,00), terão direito a um salário de R$ 12.721,00, tudo porque a Lei Municipal 8.083, conhecida como “Lei do Gatilho Salarial”, garante a eles este direito. Difícil será convencer os eleitores, que sabem que a Câmara nos custa o “olho da cara” (mais ou menos R$ 80 milhões em quatro anos), que este aumento é um “direito dos vereadores”. As urnas falarão!

Caos maior

Aqui no Brasil temos que rezar para que o coronavírus não se alie ao Aedes aegypti, vírus zika, dengue e chikungunya. Se isso acontecer, será “um Deus nos acuda”.

Recado em tempo de cólera

Bolsonaro, Alcolumbre, Rodrigo Maia e Toffoli: o momento é de união e bom senso. Estamos todos na mesma barcaça!

Qual é o mais louco: Psol ou o ministro?

O STF anulou o ato do ministro Marco Aurélio que, a pedido do Psol, sugeria soltar presos sexagenários e “criminosos não-violentos”, como se o crime não fosse, em si, uma violência.

Combustíveis: redução não chega às bombas

Isso irrita Bolsonaro: gasolina ficou 12% mais barata. O preço do diesel diminuiu 7,5%. A Petrobras reduziu o preço médio da gasolina nas refinarias em 12%, e do diesel em 7,5%. A medida começou a valer ontem.

Pornográfico!

Para senador Major Olímpio (PSL-SP), que apresentou emenda para repassar R$ 2 bilhões do fundão eleitoral ao combate do coronavírus, “é pornográfico destinar R$ 2,03 bilhões para o fundão eleitoral e R$ 1 bilhão para o fundo partidário, neste momento de coronavírus”.        

 

Comentários
×