Associação denuncia maus-tratos a  animais no Crevisa e Prefeitura rebate

 

Da Redação

A Sociedade Protetora dos Animais de Divinópolis (Spad) denunciou nesta quinta-feira, 10, em suas redes sociais, um suposto mau-trato a um animal no Centro de Referência de Vigilância em Saúde Ambiental (Crevisa) na cidade.

— Hoje fomos ao Crevisa, como de costume, para acompanhar a situação dos animais no local e averiguar uma denúncia de maus-tratos. Infelizmente, nos deparamos com mais um flagra de maus-tratos, descaso, tratamento indevido e desvalorização da vida pelo órgão! Encontramos uma filhotinha amuada e encolhida, tremendo e gemendo de dor, deixada no cimento frio sem nada mais, que confirmando a denúncia, fora atropelada e passou por uma amputação. Assustadas, vimos que a cadelinha estava amputada até o ombro, sem nenhuma atadura, faixa ou remédio visível, como sprays para evitar bicheiras, nem mesmo um medicamento para dor lhe foi dado. Logicamente, afirmamos que levaríamos a cachorrinha para receber tratamento adequado. O funcionário negou e disse que não poderíamos fazer isso. Foi quando chegou um veterinário do local e também tentou, de toda forma, impedir que levássemos o animal, até mesmo nos barrando fisicamente e se colocando deitado no chão na frente do carro — relata a Spad na publicação da denúncia.

— O animal foi retirado do local para ter sua vida salva! Chegou à clínica veterinária, diretamente do Crevisa, com febre, agonizando, até mesmo defecando e urinando de dor. Estamos apavoradas com tamanha judiação. Queremos mais que justificativas e promessas, queremos mudanças efetivas e urgentes, chega! Não podemos deixar de mostrar as mazelas que esses pequenos seres indefesos sofrem no local. Não vamos nos intimidar ou calar, ameaças só nos farão caminhar com mais certeza de que todos precisam saber e lutar pelos animais que não podem falar — finaliza o post.

A Prefeitura de Divinópolis, por sua vez, rebateu a denúncia de maus-tratos.

— O cão atropelado nessa quarta-feira, 9, chegou ao Crevisa e recebeu, de imediato, os primeiros atendimentos do veterinário. Devido à gravidade do ferimento, a perna precisou ser amputada. Durante a noite, o cão retirou o curativo. Pela manhã, o veterinário constatou que o animal estava sem o curativo e foi preparar uma nova proteção para evitar contaminação. Nesse momento, duas mulheres entraram no Crevisa e retiraram o cão. O veterinário explicou que o cão estava sob os cuidados da unidade, mas as mulheres levaram o animal sem o curativo. O veterinário Frederico Rodrigues Ramalho tentou impedir que as duas levassem o cão e quase foi atropelado pelo veículo conduzido pelas mulheres. O Crevisa registrou o Boletim de Ocorrência sobre o acontecimento. Os veterinários da unidade repudiam a afirmação de maus-tratos e confirmam que o cão foi tratado com os devidos cuidados pelos os profissionais da unidade — informou a Prefeitura por meio de nota.

Comentários
×