Assassinatos já chegam a 29 neste ano em Divinópolis

 

Gisele Souto 

Depois de uma trégua, Divinópolis voltou a registrar dois homicídios seguidos. Os crimes aconteceram com apenas dez horas de intervalo. Houve ainda uma tentativa menos de 20 horas depois, no mesmo bairro do primeiro assassinato.  Fala-se em acerto de contas nas ocorrências violentas registradas no Jardim Candidés. Porém, a Polícia Civil (PC) diz que ainda apura essa possibilidade. Até o fim da tarde de ontem, apenas um dos possíveis autores havia sido identificado. O que teria matado um e ferido outro durante a festa de Santo Antônio em Santo Antônio dos Campos (Ermida), na madrugada de domingo. A PC já tem nome e apelido, mas ele ainda não foi preso. O resumo do fim de semana, então, são dois assassinatos e duas tentativas.

 Crescente 

E os números não param de crescer. A exemplo de 2017, ano mais violento da história da cidade, com 61 homicídios, 2018 parece trilhar o mesmo caminho. Com os contabilizados do fim de semana, o número já chega a 29, um mais do que o mesmo período do ano passado, quando foram registrados 28. Praticamente empatados os cinco meses. E um dado chama atenção: deste total somado até agora, 21 foram com armas de fogo e oito com outras armas, como faca.

Primeiro 

A primeira vítima do fim de semana foi um homem de 52 anos.  Ele estava em um açougue na avenida Anhanguera, no bairro Jardim Candidés, quando foi atingido por dois disparos de arma de fogo: um na cabeça e outro no braço. Ivan Alves dos Santos foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ainda com vida, porém morreu durante o deslocamento à Sala Vermelha do Hospital São João de Deus. A vítima não possuía passagens pela polícia.

Ainda não se tem informações de possíveis autores do crime. O principal suspeito é um rapaz de 20 anos, morador do mesmo bairro e que foi alvejado na mesma avenida, na noite de domingo, por volta das 22h50.

Segundo 

O outro assassinato e uma tentativa aconteceram durante uma suposta briga entre dois homens em uma festa em Ermida.

A Polícia Militar (PM) trabalhava na festividade quando foi chamada à rua Antônio Olímpio de Oliveira, bairro Florermida, próximo das comemorações, para intervir em uma briga. Porém, quando chegou à via, já encontrou dois feridos.

O Samu também foi acionado e levou a vítima de 19 anos para a Sala Vermelha do Hospital São João de Deus, onde foi atendida e continua internada.

Já Charles Corrêa Pena, de 34 anos, morreu no local. Quando a PM chegou, o terceiro envolvido já tinha escapado.

Fugiu 

Testemunhas afirmaram aos militares que não perceberam nenhuma briga, porém escutaram alguns disparos de arma de fogo e, em seguida, notaram duas pessoas caídas já caídas no chão. Contaram ainda que um homem não identificado, usando moletom cinza, fugiu do local rapidamente, tentando esconder uma arma de fogo por baixo da blusa, e desapareceu em meio ao público da festa.

Identificado 

O nome do possível autor do crime foi levantado pela PM.

A PC confirmou que o criminoso já foi identificado e, juntamente com a PM, segue à sua procura.

As vítimas, que foram atingidas na altura do tórax, não possuem passagem pela polícia e a motivação do crime é desconhecida. As apurações seguem com a Polícia Civil.

 Vingança 

Na noite de domingo, outra ocorrência semelhante. Na mesma rua e bairro do primeiro assassinato do fim de semana. A Polícia Militar foi ao Jardim Candidés para verificar uma ocorrência de tentativa de homicídio. No local, na avenida Anhanguera, por volta das 22h50, o Samu prestava socorro a uma vítima de 20 anos. Especulações no próprio bairro dão conta de que seria uma vingança pelo assassinato de sábado. O que foi dito também pela PM.

Ainda segundo informações da polícia, ele tem passagens por tráfico de drogas em 2016, posse ilegal de arma de fogo em 2015, lesão corporal em 2014 e 2015, e receptação em 2016.

Disparos 

Uma testemunha narrou à polícia que transitava em sua motocicleta pela Anhanguera, quando uma motocicleta XRE de cor preta, ocupada por dois rapazes com roupas pretas, chegaram em velocidade reduzida por trás da vítima, que caminhava. Eles efetuaram em torno de quatro disparos de arma de fogo, possivelmente de calibre .38.

Socorro 

A vítima foi socorrida com vida à Sala Vermelha do Hospital São João de Deus. Lá, foram constatados três disparos de arma de fogo: um na mão e dois nas costas.

No momento do socorro, a vítima estava com quadro estável de saúde e disse à PM não ter suspeitas de quem seriam os autores; apenas confirmou sobre a motocicleta usada no crime.

A Polícia Militar realizou rastreamento, mas os suspeitos não foram encontrados. A PM pede para que quem souber de alguma informação repassar pelo 181 ou 190.

A Polícia Civil informou que também não identificou os possíveis autores, mas já iniciou investigações e reforça a importância da denúncia.

 

Comentários
×