Abrasel teme fechamento e demissões em bares e restaurantes

Da Redação

A crise da covid-19 atinge vários setores ligados à economia, entre eles o alimentício. E um dos maiores impactos econômicos da pandemia vem ocorrendo em  bares e restaurantes. Em Divinópolis, apesar da flexibilização do comércio, o segmento é um dos mais afetados, visto que o último decreto reafirma o atendimento nestes estabelecimentos somente no sistema de delivery. Situação que preocupa a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) seccional Minas Gerais, que tem à frente, em Divinópolis, o empresário Danilo Pereira. 

Diante de tantas incertezas, os empresários divinopolitanos  tiveram que se reinventar, e, aqueles que ainda não atuavam, tiveram que apostar no delivery para poder amenizar a crise, isto porque ainda não há uma previsão quanto à volta do funcionamento integral. Em meio a este reboliço, alguns restaurantes estão reduzindo o quadro de funcionários, ou mesmo dando férias para evitar um mal maior. 

— O nosso setor é de extrema importância e representamos uma grande fatia da economia em âmbito nacional. E, nesta crise, estamos também lutando pela nossa reabertura, que pode acontecer nos próximos dias, próxima semana, dentro das normas estabelecidas. Todos os bares e restaurantes vão ter que se adequar e, com a ajuda da Abrasel, vamos estar ao lado dos empresários, pois não vai ser somente um abrir novamente, teremos que seguir novas regras como a distância de dois metros de cada mesa, higienização do local e de nossos colaboradores, entre outros. Teremos também a capacitação de nossos funcionários para a nova realidade que se faz presente — disse Danilo Pereira.

Documento 

Em busca de uma solução, a Abrasel elaborou um documento, feito por vários profissionais da área, o qual a entidade vai formalizar para entregar à Prefeitura já na próxima semana. 

— Divinópolis conta com cerca de mais de mil bares,  o que nos preocupa são as demissões, visto que muitos dos proprietários ainda não têm um capital de giro sustentável. Em relação a fechamento de estabelecimentos ligados à Abrasel, temos quatro ou cinco que já disseram que não voltam depois de passada a crise — disse Danilo.

Brasil

Segundo a Abrasel, dos cerca de um milhão de estabelecimentos comerciais direcionados à alimentação, pelo menos 10% fecharam as portas de forma definitiva até o momento. A associação afirma que, por este motivo, cerca de 15% dos trabalhadores do setor foram demitidos, mais de 900 mil funcionários.

Comentários
×